sábado, 1 de fevereiro de 2014

Hiperlactação - Uma benção e um problema!

Olá meninas,


São tantos assuntos pendentes aqui na minha cabecinha para virarem posts, que vocês nem imaginam, mas quase 6 meses depois eu só tenho conseguido postar mesmo sobre a evolução e desenvolvimento mensal do meu Davi. Como que faz pra ter tempo, gente???

Bem, Davi acabou de embalar na sua sonequinha das 18:00 (isso foi ontem – continuando hj na sonequinha das 13:00 - É assim...) e eu vou tentar fazer um post rapidinho, de algo que preciso compartilhar, a fim de ajudar alguma mamãe que esteja passando por isso ou que venha a passar... Vou contar o que houve comigo, vocês vão entender.

A amamentação estava indo bem (alguns percalços, que eu já citei aqui no relato da amamentação) até que por volta dos 40 dias do Davi ele começou com um comportamento diferente na hora de mamar... Estava tudo bem, até que eu o colocava ele no peito e ele começava a chorar, na verdade, gritar mesmo... Jogava o corpinho pra trás, me batia com as mãozinhas, ficava nitidamente irritado, nervoso, chorava, mordia e esticava o bico, soltava o peito e não queria mais pegar mesmo com fome, ele pegava e largava o peito o tempo todo, parecia uma batalha... Eu trocava de peito e depois de alguns minutos começava tudo igual... 

Gente, era desesperador... No inicio eu pensava que era cólica, achava que quando o leite chegava ao estômago e intestino dele desencadeava a tal cólica... Muitas vezes eu parava de amamentar e dava remedinho pra cólica, coloca a bolsa de gel quente, fazia massaginha.... Às vezes o chororô passava e eu o colocava no peito novamente... Mas era começar a mamar e tudo voltava... Amamentar estava virando um martírio!

Muitas vezes junto com estes sintomas todos ainda tinham as “golfadas”, os regurgitos mais pareciam vômitos e os engasgos, nossa muitos engasgos... Aliás, estes passaram a ser muito constantes e eu cada vez mais apavorada com eles... Quando ele engasgava e eu o tirava para tentar desengasgá-lo meu seio jorrava, o fluxo era muito intenso, chegava a molhar todo o rostinho dele... A ejeção era muito forte... Ma eu achava super normal... O que eu não achava normal era ele engasgar, afinal, foram 40 dias sem engasgar e do nada começara a engasgar, imaginem como eu ficava, chegava a colocar ele de cabeça pra baixo, batia nas costinhas, era um sufoco mesmo! Eu já começava a amamentar com medo!

Bem, depois de quase uma semana assim, e de já ter falado com a pediatra e a mesma ter me dito que era refluxo e inclusive ter entrado com medicação para tal (Label - 2 x ao dia por 30 dias)... Os sintomas continuavam os mesmos e os engasgos tb... Foi então que tive a idéia de ligar para o apoio à amamentação do hospital onde eu tinha tido o Davi... Falei com uma enfermeira muito simpática e expliquei o que estava acontecendo... Eu sentia que o problema era algo pontual, da amamentação em si... Mas não sabia exatamente o que era... Será que eu tinha desaprendido amamentar? Como que depois de mais de 40 dias as coisas começaram a dar errado?

Bem, ela me pediu que fosse lá com o Davi e levasse ele dormindo ou com fome, para ele mamar assim que acordasse e que eu o amamentasse na frente dela pra ela avaliar... Foi o que eu fiz... Por acaso neste dia o Davi dormiu umas 2 horas seguidas e cheguei lá com ele ainda dormindo... Enquanto esperávamos ele acordar, ela pediu pra ver meus seios... Os protetores estavam encharcados (e fazia apenas 2 horas que eu tinha trocado), ela de imediato falou que eu tinha MUITO leite e que meu peito estava “explodindo”... Ela pediu pra ordenhar um pouco e sem muita dificuldade, em alguns segundos ela encheu um copinho descartável de 150 ml... E então ela me disse:

“Você está com hiperlactação, muito leite e ejeção muito forte, seu leite não pinga, ele sai em jato e isso está engasgando seu bebê... O leite vai direto na gargantinha dele e com força, é como se você fosse beber água direto de uma mangueira com pressão... Ele fica bravo com a situação, ele quer mamar e não consegue dar conta do seu fluxo, vai ficando irritado e jogando o corpinho pra trás... Tem fome e qdo mama se engasga... Regurgita tanto pq está mamando muito além do que ele pode suportar... O normal é que um bebê controle a quantidade de leite ingerida.. Ele vai controlando isso enquanto suga... No caso de uma mãe com hiperlactação o bebê não consegue controlar e acaba ingerindo mais do que precisa naquele momento, então o leite volta com tanta freqüência...”

TUDO começou a fazer sentido para mim... Depois de tanta explicação... Faltava saber como corrigir o problema...

O Davi acordou e ela me pediu pra amamentá-lo exatamente como eu fazia em casa... E pra minha surpresa, foi tudo tranqüilo, ele mamou por 20 minutos, sem interrupção, com serenidade e calma... Eu mal podia acreditar, há tempos o momento da amamentação não era tão bom!

Falei pra ela:

- Como pode? Eu juro que não tem sido assim, vc vai achar que eu estava exagerando... Ela riu e respondeu:

“Claro que eu acredito em vc... E a amamentação só está assim pq ordenhamos mais de 150ml antes dele mamar, lembra? Este é o segredo: Deixar a mama macia, molinha antes dele mamar... Desta forma o jato será menos intenso, ele vai sugar normalmente e o leite será produzido à medida que ele for sugando... Vc terá que ordenhar sempre antes de amamentá-lo... Terá que ter paciência, não tem outro jeito”.

De resto ela me disse que estava tudo absolutamente certo, inclusive a pega dele, etc...

Desde então eu passei a doar o leite em excesso, fiquei mais ou menos uns 2 meses doando em média 2 litros de leite por semana!

Era uma benção sim, claro, ter bastante leite e poder até doar e ajudar tantas crianças sem dúvida é uma Graça Divina, (inclusive eu pude presenciar o sofrimento de uma mãe que estava lá no hospital no dia que eu fui pedir ajudar, ela tinha uma bebê recém-nascida e prematura internada, qdo eu cheguei ela estava há mais de 1 hora tentando tirar leite com uma maquininha elétrica e neste tempo todo havia conseguido extrair apenas 35ml!!! E eu em segundos ordenhando manualmente consegui extrair 150ml! – Senti que eu tinha OBRIGAÇÃO de ajudar) mas era tb muito chato ter que ficar ordenhando praticamente o dia todo... E qdo ele estava com fome e eu ainda não tinha ordenhado, ele com pressa pra mamar, chorando e eu lá tendo que esvaziar a mama... Muitas vezes ele mamava em uma mama enquanto eu esvaziava a outra... E qdo ele dormia eu corria aproveitar pra ordenhar as mamas... Era cansativo, mas não tinha outro jeito... Só assim as mamadas se normalizaram... Outra coisa: Em cada mamada ele mamava apenas em uma mama às vezes até duas mamadas seguidas na mesma mama, só assim pra esvaziar a mama e ele conseguir chegar no leite posterior... Enquanto isso eu tinha que ordenhar a outra mama, que já ficava enorme... E assim fui levando...

Vocês podem me perguntar: Mas Marcela vc não notou que o problema era excesso de leite? Não percebeu que saia muito leite ao ponto de esguichar no rostinho dele?

Não gente, eu não percebi. Eu já tinha visto muitas mães amamentando, mas nunca vi o leite saindo, oras! Como eu ia saber se o leite deveria pingar, escorrer, jorrar, esguichar... Sei lá, pra mim era daquele jeito e pronto.

Depois de pouco mais de 2 meses nessa situação, a minha produção de leite normalizou, coincidiu com a nossa mudança e eu parei de ser doadora de leite, não precisei mais ordenhar antes das mamadas, ah e outra coisa interessante é que o bebê simplesmente com o tempo aprende a mamar assim, pq se você tem hiperlactação, mesmo ordenhando o jato ainda é forte qdo sai e senti que o Davi aprendeu a controlar isso.... Nunca mais tivemos problemas e amamentar voltou a ser a coisa mais linda da nossa vida, momento mais lindo do dia entre mim e meu pequeno. 

É meninas, estou contando tudo isso pra vocês porque nem tudo é cólica ou refluxo... As pessoas (pediatras principalmente) tem mania de atribuir todo mal estar ou choro de bebê às cólicas e refluxo e ainda aconselham: “Calma, com 3 meses melhora...” Nem tudo é assim, meninas.

A maior lição que eu tirei disso tudo, foi que eu podia confiar mais em meus instintos maternos... Mesmo tendo passado na pediatra, eu sentia que o problema era com a amamentação em si e não em decorrência dela... 

E outra coisa: Busquem e aceitem ajuda, mas de preferência de pessoas capacitadas. E se isso acontecer contigo, FIQUE CALMA, tudo tem jeito, TUDO vai dar certo.

Ufa, consegui finalizar um post!!! heheheheee.... (com a ajuda do papai que pegou o Davi qdo acordou da sonequinha e permanece brincando com ele até agora!!! rs)

Caso queiram mais informações, vou deixar um link, de um texto que me ajudou muito na época: http://www.e-familynet.com/phpbb/hiperlactacao-finalmente-descobri-o-que-esta-acontecendo-t88512.html

Beijossss, saudade de vocês!!!!


11 comentários:

  1. Marcela! Você narrou praticamente a minha vida com o Miguel! Sofri muito com o Miguel para amamentar!!!
    Mas as coisas por aqui tbm melhoraram :) e realmente, nem tudo é cólica ou refluxo!

    ResponderExcluir
  2. amiga graças a Deus por esse pessoa linda que te ajudou
    amiga, nunca passou isso em minha cabeça e olha sou mãe de
    duas em parabéns pela ajuda e por ter dado esse espaço
    para ajudar
    linda noite
    Nanda
    beijokas
    Sendo a mãe da Isa e da Gabi
    Google+Nanda

    ResponderExcluir
  3. Queeee aprendizado ler esse relato Marcela, acho que meu leite saiiii muito tbm e o Arthur anda engasgando demais na hora de mamar tbm, estou doando leite e parece que nen assim meu leite diminui rsrsrs, vou tentar fazer assim, tirar o leite antes dele mamar rsrsrs.. Ai como adoroooooooooooo essa blogsferaaa gente, eu aprendo tantoooo!

    Beijoss em vcs!

    ResponderExcluir
  4. Eu tb passo por isso, mas acredito que seja em um grau mais leve que o seu pq nunca chegou a atrapalhar a amamentacao por aqui. Hj eu doo uma vez por semana e está td bem, só estou esperando minha produção diminuir mas nada até agora...
    Adorei o post!
    Bjo!

    ResponderExcluir
  5. Nossa que interessante
    e sabe que eu nunca tinha pensando nisso
    ah gente ve amamentando mais não faz ideia de como que sai o leite né
    mais foi um baita aprendizado
    parabens,
    bjaooo

    ResponderExcluir
  6. Flor amei este post.. super informativo... sempre digo q é melhor confiar nos instintos maternos do que nos médicos, aprendi a duras penas... bj

    blog-maedesegundaviagem.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Mah nunca tinha ouvido um relato desse, vou levar como experiencia lida.
    É muito bom vim aqui no seu cantinho, venha mais vezes não suma maezinha.
    Sempre qe tenho uma duvida corro aqui, já que o davi é mais velho q o gui rsrs
    Fiquem com Deus lindos
    bjo

    ResponderExcluir
  8. Post SUPER informativo, viu? até eu que não amamentei aprendi com vc agora.
    O Dioguinho também chorava de espernear, mas era exatamente o contrário: falta de leite!

    Me ví nessa mãe que vc mencionou, hooooras ordenhando pra tirar um tiquinho de leite!!! O jeito foi me conformar com o LA.

    Amamentar é uma benção . . . e ajudar pessoas através da doação é uma dádiva!

    Não some nãaao . . .

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. amei seu post ...muito interessante...bjs

    ResponderExcluir
  10. Maaah! sabe que eu passei pela mesmíssima coisa? aí começou a normalizar lá pelos três meses...mas agora que fico o dia todo sem amamentar, quando chego em casa com os seios literalmente explodindo o leite jorra, Anthony fica brabo, chuta, chora, estica o bico como se fosse de borracha..oooohh céus! Tenho tirado um pouco antes tb..é bom que já deixo leite pra ele mamar no dia seguinte!

    Adorei o post!

    Beeeijos!

    ResponderExcluir
  11. Meninas, fico tão feliz por saber que o post foi útil! Este é tb o intuito do blog, compartilhar experiências e ajudar... Assim como vcs todas sempre me ajudam....

    beijossss,

    ResponderExcluir

Que bom que você passou por aqui!!! Volte mais vezes, tá?
Obrigada por comentar, eu e o Davi adoramos receber seus comentários!!!

Prometo responder assim que possível!!!
Beijos e Fique com Deus!